Por que o homem tem religião?

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Por que o homem tem religião?

Mensagem  JavaNunes em Sab Jun 23, 2012 1:45 pm

As pessoas gostam de acreditar em lendas que sobreponham as vidas delas, a maior prova disso é o sucesso dos folclores, dos filmes e novelas. Todos nós tendemos a fantasiar coisas que nós gostaríamos que acontecesse.

Com a religião, acontece a mesma coisa, as pessoas gostam de acreditar em seres extraordinários que não tem aquelas limitações que ela tanto detesta nela mesma.
As pessoas querem atribuir nesse caso, poderes absurdos à divindades que nem se quer foram fotografadas , vistas ou manipuladas de maneira comprovada pela ciência. As pessoas querem crer num ser que transcenda as suas próprias limitações de fragilidade. Na maioria das vezes o crente em uma religião, é adulto, ou seja, ele não conta mais com um pai biológico grande e forte para protege-lo dos perigos da vida, sem isso o fiel da religião sai da sua casa psicológica e procura então segurança em outros tipos de pais. O maior desses pais atualmente, é o deus judaico que leva o nome de Deus. A ele, todas as pessoas atribuem poderes ilógicos que não teria nem sentido para um ser que fosse um deus de verdade, como por exemplo, a onisciência total. Eu acho esse poder o mais absurdo de todos, imagine como seria chata a vida de um ser onisciente: ele não falaria com ninguém pois já saberia a resposta, ele não teria problemas pois já saberia a solução, ele não interferiria na vida alheia pois ele já saberia o que irá acontecer, ele não acharia graça em nada afinal ele já saberia das respostas desse nada, ele não ficaria bravo ou triste pois de tudo ele já conheceria o resultado muito antes, ele saberia sempre o que ele irá fazer e por isso não acharia nada novo, sem se falar que onisciência seria igual a afirmar que tudo, de uma certa maneira está calculado e não há como sair daquilo.

As pessoas atribuem poderes assim a deuses pois elas sentem muito medo e ódio da vida como ela é: sentem ódio da morte, dos acidentes e da fragilidade da sua vida como organismo humano, para afrontar essa vida ruim, para se vingar dessa vida perigosa, o crente cria os seus deuses capazes de tudo, até de quebrar as leis da física, sendo assim, ela adota esse super deus como o seu protetor , como o seu novo pai que a defenderá dos perigos, mas como todo familiar , ela deve agradar esse pai, ela deve sentir que esse deus tem características dos seus pais biológicos como por exemplo: o rigor, o lado cobrador e punidor, o amor condicional e comoção com a dor dos filhos machucados. Como ela nunca poderá ver esse novo pai, ela passa a criar várias régras para senti-lo e se sentir especial com ele: a obediência dos seus mandamentos é uma dessas regras , aqueles que obedecerem as regras do novo pai, terão maiores concessões com ele e também se sentirão mais especiais, assim como o irmão que tenta agradar mais o pai do que o seu outro irmão para obter benefícios próprios e ser o preferido em casa.

Os pais biológicos nos protegiam também da morte mas eles tinham o seu prazo de validade marcado por ela. Então os deuses são os nossos pseudopais que não sofrem os efeitos da morte, com eles eu sei que depois de morto eu terei um leito, um acalento , eles sempre existirão enquanto o homem tiver que conviver com a morte. O maior medo natural das espécies é o da morte, é muito normal que o homem sendo criativo, crie mecanismos sobrenaturais hipotéticos para escapar dela.

O crente nutre algo pelo pai deus, chamado interesse de causa, esse interesse é: nunca morrer
, ter sucesso, não ir para o inferno, não perder o trabalho e ter saúde, ou também ter tudo isso depois de morto. Para isso os crentes criam métodos que para eles mostram o seu carinho pelo seu deus escolhido ou pai, na verdade esse "carinho" todo é uma forma de evitar a ira do pai deus e obter favores.

Esse carinho por deus, esses cultos em conjunto, fazem os seus filhos se sentirem bem, se sentirem melhor em comunhão com todos os outros, afinal , quando uma pessoa se sente bem com outros, quando ela acredita em algo que uma massa de pessoas acreditam, ele se sente bem por essa interação social e acha que esse se sentir bem é a presença do seu deus.

Resumindo, toda religião é culpa da fraqueza do homem perante às situações adversas do meio ambiente onde ele vive.
avatar
JavaNunes

Data de inscrição : 12/06/2012
Idade : 38

Ver perfil do usuário http://ceboliceta.blogspot.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum